quinta-feira, 16 de junho de 2011

Educação: A bagunça organizada


Educação: A bagunça organizada

As escolas têm por função principal formar cidadãos críticos e conscientes de seus direitos e deveres. É muito difícil imaginar o modelo ideal de ensino, pois apesar de estarmos organizados em sociedade a maioria de nós não a compreende e não atua como protagonista desta. Ao mesmo tempo, há imposições do próprio meio em que estamos integrados que agem de modo contraditório, dando prioridade a livre concorrência e repreensão de qualquer modelo que contrarie o sistema vigente, influenciando na reprodução dos sistemas pedagógicos praticados nas escolas. O alunado fica submisso às práticas didáticas que muitas vezes os privam de uma visão ampla e continua de si mesmo e do mundo, tendo apenas qualificações fragmentadas, sem aprofundamento teórico e muito menos prático do que é visto em sala de aula.

O caos que a educação está passando é reflexo dos maus parâmetros educacionais que são aplicados de forma retrógrada ou imaginária, pois o fato é que os Parâmetros Curriculares Nacionais não funcionam e não conseguem sair do papel. Pior que isso, desqualifica o profissional educador, que aprende em sua graduação metodologias inovadoras, ao passo que na realidade é praticado as mesmas formas de ensinar da década de 70. Absurdos como esses, somados com a falta de estrutura, de investimentos, má remuneração e descontrole numérico de alunos por escola, reproduzem o grau cultural de uma nação. Há um descaso enorme por parte do Estado, que nega ao seu próprio povo a acessibilidade á sua auto-suficiência. Não é recente a omissão governamental, sendo praticada desde nossa colonização e sendo mantida até a era da modernidade.


Os professores de hoje são meros produtos de nossos modelos didáticos de ontem. O que se ver nas escolas de ensino regular é um magistério sem ânimo e pouco qualificado, mais que isso, confuso e perdido, sem imposição, repassando quase que de forma padronizada e literal os conteúdos impostos por projetos pedagógicos que não contemplam a formação do alunado para o exercício da cidadania e a sua qualificação para o mercado de trabalho.


A nossa educação precisa com grande urgência de uma reformulação pedagógica imediata, em que  a prioridade do ensino seja o aluno e onde os meios de aprendizagem sejam interdisciplinares, multi-funcionais e que aja efetiva utilização da teoria com a prática, fornecendo ao alunado as competências e as habilidades propostas pelo PCN e o cumprimento da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Não podemos aceitar que as Leis e os Parâmetros sirvam apenas para organizar essa bagunça. É função de cada profissional da área rever seus métodos e conceitos, desvincular o atraso que permeia nas escolas e revindicar uma mudança que promova recursos e condições plausíveis para a aplicação dos documentos oficiais. 

O que acontece é que o absurdo está virando normalidade, está tão trivial que majoritariamente pouco se faz para que ocorra alguma mudança. Infelizmente, quem sai perdendo é toda a nação, tendo um povo surdo e mudo aos acontecimentos, já que nunca teve uma educação de qualidade, por tanto não sabendo o que fazer para resolver seus próprios interesses.



Ao usar este artigo, mantenha os links e faça referência ao autor:
HIROTSU, Priscila. Artigo de opinião: Educação: A bagunça organizada . João Pessoa, PB. Publicado 16/06/2011 em:  http://www.gerandoletras.blogspot.com\

Nenhum comentário:

Postar um comentário