quinta-feira, 16 de junho de 2011

O letramento e a função social da escrita


Alfabetizado e Letrado


Analfabeto é aquele que desconhece o alfabeto, portanto que não sabe ler nem escrever. Analfabetismo é o modo de permanecer analfabeto. Alfabetização é a ação de alfabetizar, de se tornar alfabetizado. Existe também o chamado “analfabeto funcional” que é quanto se sabe ler e escrever, mas sem compreensão.

Um indivíduo alfabetizado não é necessariamente letrado, ser letrado é submeter-se à leitura e à escrita e se responsabilizar socialmente de acordo com seu meio fazendo uso diário de leitura e escrita.

Letrado é aquele que não apenas têm o conhecimento das letras, mas também as domina e faz uso fluente delas. A palavra letramento surgiu consequentemente com a evolução da tecnologia, dos meios de comunicação, da necessidade de integração com o conhecimento humano, entre outros que deram sua contribuição para a principal das evoluções que foi a evolução da sociedade.

Essa globalização sofrida pelo mundo, principalmente nas últimas décadas, nos leva à necessidade de ter conhecimentos variados nas mais diversas áreas. Toda essa aquisição de saber dá-se através da leitura o que gera uma visão de mundo diferenciada daqueles que não tiveram o mesmo acesso, podemos dizer que a pessoa erudita ou letrada não só está intelectualmente à frente de uma pessoa alfabetizada, como também socialmente, pois além de entender a sociedade compreende que é agente transformador desta.

A escrita também é modificada com os patrões de letramento, pois consequentemente, lendo mais você irá escrever melhor, deste modo há de se observar às necessidades, as demandas de cada individuo e do seu contexto social e cultural.

Segundo Magda Soares, o letramento pode ter uma dimensão individual ou uma social. Individual é quando basicamente sabe-se ler e escrever com compreensão. Dimensão Social, são as práticas humanas tanto da escrita como da leitura em que os indivíduos envolvem-se socialmente.


A importância da escrita


A escrita em seus primórdios era produzida com intenções comerciais de informação, porém com o passar do tempo, quando a fala não deu conta do contexto social enquanto modo de expressão, surgiu o interesse de registrar os conhecimentos filosóficos e científicos além da própria necessidade de comunicação. Ela está diretamente interligada com todos nós, mesmo que não sejamos alfabetizados. Vemos diariamente um contingente de informações e propagandas na TV, na internet, nas ruas que de certa forma nos influenciam.

É imprescindível a escrita tanto para a exploração, compreensão e expressão de idéias e sentimentos. Não é preciso ser um profissional para escrever bem, já que a expressão está ao alcance de todos, muito menos escrever um longo texto para que ele seja considerado como bom, tento em vista que um dos textos mais importantes da nossa historia “O manifesto comunista” de Marx continha umas poucas páginas e revolucionou os pilares sociais do mundo até hoje.

Sem dúvidas, sem os registros filosóficos e científicos obtidos não teríamos o acervo de todo conhecimento, tecnologia e desenvolvimento que temos atualmente. De fato a escrita têm dado sua contribuição histórica, ao mesmo tempo nos perguntamos: Usufruímos desse legado e qual o papel da escola na formação cidadã e literária?



Escrita e sociedade


Concluímos a importância elementar da escrita e da literatura em nossas vidas, contudo a escola, por diversos impasses, não consegue educar cidadãos plenos. Levar o hábito do letramento para as salas de aula tem caráter urgentíssimo, apenas quando a escola for capaz de cumprir com seu papel didático e social, em que o alunado consiga sair formado e informado de seus deveres e direitos de cidadão é que teremos uma sociedade de pleno direito livre.

Os desafios para os profissionais da educação são enormes, visto que o investimento das áreas competentes ainda é pouco comparado com a dimensão social e as disparidades, ao mesmo passo temos que fazer uma autocrítica revendo diariamente as melhores formas possíveis de formar escritores e leitores proficientes e competentes.



Referências Bibliográficas:
Textos originais de:
SOARES, Magda. Letramento: um tema de três gêneros. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. 128 p.
Brakling, Kátia Lomba. Sobre leitura e formação de leitores. Edição: EducaRede. Março/2003.


Ao usar este artigo, mantenha os links e faça referência ao autor:
HIROTSU, Priscila. Artigo: O letramento e a função social da escrita. João Pessoa, PB. Publicado 16/06/2011 em: http://www.gerandoletras.blogspot.com\

Um comentário:

  1. Priscila Hirotsu: A mensagem está objetiva, clara, as idéias bem ordenadas. Interessante será submeter o texto à revisão para correção gramatical, pois que os poucos equívocos podem levar a que outros leitores copiem o modelo de escrita e adotem os erros aqui encontrados.

    ResponderExcluir