segunda-feira, 13 de junho de 2011

Poema - Indolência



Meus sentimentos estão em inércia
Não me resta mais nada a não ser acordar
Mais meu medo me prende em minha indolência
Para que viver a realidade se eu posso sonhar

Vivo apenas o que quero sentir
Sinto a falsa sensação de eterno prazer
Escuto sua voz querendo e confundir
Equivocada tento negar meu querer

Emudeço qualquer tipo de emoção
Tento ser indiferente ao falar
Mudo de assunto fugindo de tua indignação
Mas como negar o que estar escrito no olhar?

Um involuntário receio me impede de despertar
É madrugada e o sono toma conta de mim
Delicadamente sua voz insiste em me chamar
Insensivelmente não escuto e volto a dormir.

Priscila Hirotsu.
2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário