segunda-feira, 4 de julho de 2011

O Pensamento Dicotômico de Saussure


Entre os anos 1907 e 1910 o suíço Ferdinand Saussure deu cursos na Universidade de Genebra, na Suíça. Alguns de seus alunos tomaram notas de seus estudos ministrados e em 1916 publicaram O Curso de Lingüística Geral. Saussure morreu em 1913, portanto sendo uma obra póstuma. A partir daí configurou-se uma visão de linguística, com um novo objeto de estudo e uma serie de parâmetros que ajudam a compreender as relações lingüísticas e norteiam o pesquisador. Vou esboçar uma introdução a uma questão relevante, que é o pensamento dicotômico saussuriano e uma breve explanação sobre a arbitrariedade do signo.

Dicotomia é divisão de um conceito em duas partes. 

Língua e Fala

Saussure trouxe uma nova abordagem que é justamente o de Fala (Parole) e Língua (lange).
Língua: É abstrata e coletiva, o conjunto de atos comunicativos usados por uma sociedade. Por exemplo: A língua adotada no Brasil, que o português.

Fala: É concreta, individual e sujeito a mudanças e variações devido a sua dinamicidade. Por exemplo: O português falado no Brasil.

Significado e Significante

O signo linguistico é formado pelo significado e o significante.

Significante è a estrutura e a forma da palavra; ou seja; è a corrente acústica que è diferente de som. Ex: |FLOR|

Significado é conceito. Ex: vegetal, verde, planta.

Arbitrariedade do Signo
A união entre significado e significante é arbitraria, ou seja, o signo linguistico é arbitrário: A idéia de “PÉ” não está ligada por nenhuma relação com a corrente de sons |P|+|È| que lhe serve de significante.
Por isso que pode ser chamado no português de “Rua”, no espanhol é chamado de “Ventana” ou no inglês “Street”.
São diferentes formas de significantes para o mesmo significado.
Quanto existe relação entre significante e significado dar-se o nome de signo motivado.
Ex: dezenove, que igual a união de dois signos dez e nove.
Saussure refere-se que existe uma convenção inerente entre o significado e o significante.

Linearidade

Sincronia: Quando o estudo da língua é feito em um dado momento histórico, compreende ao eixo da simultaneidade.

Diacronia: Quando o estudo da língua é feito através dos tempos, eixo da sucessividade.

Paradigma e Sintagma

Sintagma: È a relação de associação das unidades de uma língua, em estruturas lineares. O caráter linear do signo exclui a possibilidade de pronunciar duas unidades ao mesmo tempo.
Ex: Mala\Bala

Paradigma: Coloca as unidades para se opor umas as outras e tem seu significado alterado quando trocado.
Ex: hoje comi maça.
Ontem comi maçã.



Ao usar este artigo, mantenha os links e faça referência ao autor:
HIROTSU, Priscila. Artigo: O Pensamento Dicotômico de Saussure. João Pessoa, PB. Publicado 04/07/2011 em: http://gerandoletras.blogspot.com/


Nenhum comentário:

Postar um comentário