terça-feira, 11 de outubro de 2011

Os níveis da pobreza - pobre, miserável e indigente

Os níveis da pobreza

É deplorável, mas atualmente o grau de pobreza é medido, segundo o IPEA (Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada) um indigente é o individuo que não consegue suprir diariamente a quantidade mínima de calorias necessárias para o funcionamento saudável do organismo, ou seja, 1500 calorias ou que tenha renda per capta de R$: 60 mensais.
Economicamente a FGV (Fundação Getulio Vargas) classificam o grau de pobreza de acordo com a renda, as pessoas que ganham abaixo de R$: 125 mensais são miseráveis, e pobres é aquele que ganham igual ou superior R$: 125 por mês.
A Cepal, órgão da ONU na América Latina, por sua vez, considera que as famílias que tenham renda per capita para comprar duas cestas básicas são pobres e as famílias que tenham renda para comprar até uma cesta básica são indigentes.
O foto é que pobre, miserável e indigente, são ambos pobres e a cada dia cresce o contingente de pessoas que vivem na extrema pobreza.

Paradoxo – Brasil, expansão e crescimento econômico

Ao mesmo passo que do crescimento da miserabilidade anda, o lucro e a expansão do mercado brasileiro crescem, em 2010, o PIB do Brasil ficou em U$$ 2, 194 trilhões, passando a ser a 7º maio economia mundial. Nesse mesmo ano O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) contabilizou mais de 16,2 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, o censo do IBGE mostra que dos 4,8 milhões que vivem em extrema miséria maior parte é de negros, pardos e crianças de até 14 anos.
Como se pode notar o Brasil é um dos países mais ricos, mais populosos e também com a maior proporção de desigualdades sociais. A concentração de renda se mantém concentradas nas mãos de uma centena de famílias, enquanto milhões de brasileiros padecem da fome, falta de moradia e bens de consumo básico. Onde a proporção de analfabetismo, mortalidade infantil e fome convivem como luxo e desperdício.
Em junho de 2011, a presidente Dilma Rousseff, anunciou a expansão do programa bolsa família, como parte do programa Brasil sem Miséria, que tem como objetivo retirar da situação de pobreza extrema 16,2 milhões de pessoas que vivem com menos de R$ 70 por mês, o programa paga de R$ 32 á R$ 242. O ministério do desenvolvimento Social (órgão do governo federal) reconhece que seria o valor do salário mínimo deve ser de R$: 2040 pra uma família de quatro pessoas.
A problemática não precisa ser amenizada por programas sociais, precisam ser resolvidas. O sistema capitalista e suas contradições, no capitalismo quando se tem uma economia emergente e em crescimento obviamente ela precisa ser alimentada – Para isso – Haja Fome.


Algumas Citações foram utilizadas e linkadas no próprio artigo, servindo as mesmas de referência bibliográfica.

Fontes:
Organização das Nações Unidas
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas
Fundação Getulio Vargas
Instituto de Pesquisas Econômica e Aplicada


Ao usar este artigo, mantenha os links e faça referência ao autor:
HIROTSU, Priscila. Artigo: Os níveis da pobreza - pobre, miserável e indigente. João Pessoa, PB. Publicado 11/10/2011, em: http://www.gerandoletras.blogspot.com\